NOVO CEAGESP

A MF desenvolveu a conceituação do Novo Ceagesp localizado as margens da Rodovia dos Bandeirantes, no km 29, sub distrito de Perus, a proposta contempla o aproveitamento de mais de 2.000.000m² de plataformas (distribuídos em 7 plataformas) que receberão atividades afins e complementares como poderá ser entendido a seguir:

 

  • Proximidade com o rodoanel e linha férrea existentes

  • Manutenção de toda rede de mananciais existente, promovendo a transposição desses córregos em apenas 4 pontos

  • Criação de 3 áreas de reservação de águas pluviais de modo a dosar seu deságue e não acentuar problemas a jusante desses córregos

  • Proposta de uma subestação rebaixadora exclusiva para o empreendimento

  • Sistema viário projetado considerando 3 categorias de tráfego, atendendo exclusivamente o complexo

  • Proposta para construção de uma nova estação ferro-rodoviária dentro do empreendimento

  • Utilizar a linha ferroviária para transporte de carga., tanto para exportação como importação, através de desvio ferroviário

  • Eventualmente transformar as atividades desenvolvidas nas plataformas em sistema alfandegado

  • Esgoto sanitário será tratado através de centrais modulares

 

Funções das Plataformas

 

Na plataforma A – Centro de vendas que possui aprox. 600.000,00m² e deverá conter:

  • Comercialização de produtos

  • Central de transportadores manuais

  • Passadiço turístico aéreo

  • Shopping Center e sistema de circulação vertical para o plano de comercialização

  • Bolsões de estacionamentos de caminhões e automóveis

  • Prédios multifuncionais para utilização variada durante a semana, com características construtivas semelhantes (familiaridade)

Plataforma B – Turismo que possui aprox. 200.000,00m² e deverá conter:

  • Acesso ao passadiço turístico

  • Hotéis, restaurantes e bancos

  • Comercio local. (varejo)

  • Delegacia, Posto Policial, Bombeiros e Central de Segurança

  • Prefeitura, Correios, Pronto Socorro e Creche

  • Escola Técnica

  • Igreja Ecumênica

  • Câmara de flores

  • Laboratório de Controle de Qualidade (ANVISA)

Plataforma C – Alfandegado que possui aprox. 350.000,00 m² e deverá conter:

  • Sistema modal rodo ferroviário

  • Área blindada com controle da receita federal (previsão de alfandegamento)

  • Área para armazenamento de aprox. 9.000 containers (TU`s)

Obs. Esta plataforma obrigatoriamente deverá estar na mesma cota altimétrica da ferrovia existente.

 

Plataforma D – Depósitos centrais que possui aprox. 270.000,00 m² e deverá conter:

  • Atividades retro comercialização, abastecedora do centro de vendas. (estoque remoto)

  • Vendas em super atacado em edifícios modulares que armazenarão produtos secos e frigorificados

Plataforma E – Cerealista que possui aprox. 500.000,00m² e deverá conter:

  • Área para pescados

  • Outras especialidades

  • Venda de veículos

  • Central cerealista

Plataforma F – Caminhoneiro que possui aprox. 150.000,00 m² e deverá conter:

  • Hotel padrão rede six americano

  • Serviços de oficina, borracharia e guincho

  • Car wash

  • Apoio ao motorista completo com barbearia, cabeleireiro, lan house, descanso, etc.

  • Central de fretes

  • Venda de pneus e acessórios

  • Balança rodoviária

Plataforma G – Cooperativa que possui aprox. 110.000,00m² e deverá conter:

  • Reciclagem de todo material descartado pelo centro de comercialização incluindo material orgânico que será transformado através de compostagem em adubo

  • Processamento de frutas com pequenos defeitos em concentrados a serem oferecidos nas redes de merenda escolar e bom prato

  • Reutilização de caixotes e pallets de madeira após fumigação

  • Prensagem de papelão, pet e alumínio

  • Venda de fertilizantes

 

Comentários gerais

 

Para o dimensionamento das vias e das plataformas foram utilizadas informações do atual CEAGESP de São Paulo e considerado um crescimento da ordem de 50%, como segue:

  • Hoje circulam pelo CEAGESP 10.000 caminhões/dia

  • 14.000 toneladas de produtos são comercializados por dia

  • As origens principais desses alimentos são de Ibiúna e região de Mogi das Cruzes, o que em se considerando o futuro Rodoanel essa demanda toda sequer necessitará utilizar-se do sistema de marginais da cidade de São Paulo

 

O empreendimento deverá disponibilizar de um heliponto que atenderá todas as normas e restrições da ANAC.

 

Todo esgoto sanitário será tratado através de centrais modulares e terá sua parte liquida lançada nos córregos existentes, como também parte desta água será reutilizada em bacias sanitárias e irrigação do complexo.

 

O empreendimento será realizado considerando todos os recursos naturais de modo a prepará-lo a obtenção de certificação LEED ou AQUA.

 

Folha de São Paulo, 03/08/2016

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

© 2019 MF Arquitetos

  • LinkedIn - Grey Circle